o que é copywriting

Como Melhorar Seu Copywriting

fevereiro 22, 2019 Por admin

Um copywriter deve reunir um aglomerado de habilidades para conseguir exercer seu trabalho. Saiba como fazer copywriting com eficiência e fluidez.

As palavras têm um poder incomparável de convencimento e transformação. São utilizadas para absolutamente todos os fins, através dos mais variados meios. Elas podem vir suaves, como que para amaciar alguém, ou de forma intensa, cortante, fazendo marcas e deixando o peso delas sobre o receptor. Não é todo mundo que sabe utilizá-las, não fazem ideia da abrangência e da condição que elas dão a tudo que está envolvido na mensagem, no contexto. Cada palavra tem o seu valor, e é só assim que conseguimos começar a entender qual é o trabalho de um copywriter. As técnicas de copywriting não são novidades, vendedores, empreendedores de séculos longínquos já fazem uso da arte, exatamente por isso você deve passar a entender exatamente o que significa.

melhores técnicas de persuasão

O que é copywriting?

O copywriting, tecnicamente, é um texto voltado para uma peça de marketing, é um conteúdo com clara e exposta intenção de comercialização de algum produto. Assim como caixeiros-viajantes deveriam criar estórias e lendas para conseguir vender suas iguarias e raridades de outras terras, tudo para tornar o discurso e também o diálogo mais atrativos, interessantes, convencendo o “alvo” de que aquilo vale realmente a pena.

Obviamente, não devemos e nem podemos inventar nada, quando o assunto é vender algum produto material ou digital na internet. Mas, definitivamente, eu tenho a obrigação de fazer com que o texto que aparecerá para o meu lead ou visitante seja atraente desde o primeiro parágrafo, para conquistar o tão precioso tempo e a ainda mais disputada atenção.

Não se apegue apenas aos artigos com mais de quatro parágrafos, aqueles que aprendemos na escola, com uma estruturação base e suas técnicas padronizadas. Estamos falando do copywriting atualizado, do século XXI, com características próprias e adaptadas ao ambiente digital que encontramos. Um texto para o Facebook, por exemplo, tem outros aspectos, outro ritmo, além de um tamanho preferencialmente diminuto.

Materiais e roteiros para vídeos também contam. Quando você instala a câmera no tripé e ajusta toda a iluminação, não adianta sair improvisando, a não ser que a ideia seja justamente essa (comumente não é). Para vender os produtos que você disponibiliza em seus canais e páginas, precisa de segurança e convicção na frente da câmera, com um script bem ensaiado (fazer parecer espontâneo ajuda bastante).

 

Direcionamentos para fazer bem feito

Individualizar os conteúdos é a primeira e uma das mais importantes técnicas de copywriting eu podemos te apresentar. A sensação de singularidade faz com que o visitante passe a acreditar, mesmo que de forma subconsciente, que o que está sendo oferecido for criado justamente para ele. Se ela seguiu lendo seu texto, já visita sua página, cria alguma intimidade com o seu material, o que poderia faltar para ela de fato consumir o seu serviço ou infoproduto é o pensamento de que você está atirando para todos os lados, apenas para capitalizar.

Quando a pessoa percebe que o material produzido está aí justamente para auxiliar, facilitar a vida dela, passa a ver com outros olhos tudo aquilo que você está veiculando em seus canais. Escrever como se estivesse interessado em atrair apenas uma única pessoa, aquela que está prestes a consumir, é uma das habilidades que temos que adquirir para conseguir fazer com que isso de fato aconteça.

Mas para quem, exatamente, eu devo concentrar a minha fala e as minhas palavras? Esse é um outro ponto de fundamental importância em todo o ambiente ainda em exploração do marketing digital e da venda de produtos online. Como em todos os setores do mercado, termos específicos (geralmente em idiomas distintos) vão aparecendo para resumir ou sintetizar uma ação, um diagnóstico, um grupo de indivíduos.

É o caso das nossas “personas”, expressão utilizada para abreviar, dentro do marketing digital, o nosso público-alvo, o mais definido possível. Analisar as personas do seu nicho de atuação não quer dizer apenas descobrir se elas são homens ou mulheres e sua faixa etária. É importante também compreender o estilo de consumo daquele público, como eles se comportam e interagem na web, de quanto tempo eles precisam para criar confiança, tudo que envolve a relação entre você, seu produto, seus canais e o receptor.

Com a imagem e o perfil de sua persona muito bem estipulados, direcionar sua mensagem fica muito mais fácil. Só assim você saberá qual linguagem adotar, qual será o tamanho e o conteúdo dos seus textos, que modelos de atrações audiovisuais utilizar, lembrando sempre de que tudo isso tem extrema influência no consumo direto dos que se mostram interessados no material que você está oferecendo.

Relacionamento

Convenhamos, os bons vendedores são aqueles que, além de serem profissionais que cumprem com as palavras e sabem do que estão tratando, acabam criando um certo tipo de relação conosco, mesmo que apenas de cordialidade. Não é só isso, pode acontecer com todos nós (provavelmente já aconteceu com você) de comprarmos algo, as vezes mais de uma vez, em algum lugar que não consideramos o melhor entre os que oferecem o mesmo serviço ou o produto, mas que tem uma equipe que sabe como lidar com as pessoas, do dono aos funcionários.

Passamos sim a criar relações, de repente até a perguntar sobre a família, falar sobre esportes, amenidades, enfim, é isso que um copywriter deve saber como fazer. Criar familiaridade ao lançar vídeos explicativos e textos bem escritos é a melhor forma de manter os interessados e os que já são clientes por perto. Identidade nos conteúdos também é fundamental, fazer com que os relacionados percebam já no primeiro parágrafo que se trata de você, mais uma vez, passando a sua mensagem, contando a sua história.

Atraindo o público

Ainda despertando e digerindo o café da manhã, em direção ao nosso ofício de cada dia, passamos em frente a banca de jornal e vemos, sem alguma preparação psicológica, uma manchete em caixa alta entregando um fato que beira o inacreditável. Nossa primeira reação é a de comprar o jornal para entender o que está acontecendo, certo? Talvez nem tanto hoje em dia, já que nos informamos rapidamente na internet, voluntariamente ou não, mas se não for o seu caso, certamente você acabará com ele em suas mãos.

Fato é que uma manchete bem bolada é o engodo para atrair os interessados, aqueles que estavam em busca do seu produto, mesmo os que ainda não sabiam que queriam ele, ou não tinham certeza. Não se trata de nenhum ato desonesto. Mais uma vez, reitero o fato de que não se pode oferecer algo que não está no conteúdo, já que se você fizer isso uma vez, rapidamente ficará com a reputação manchada nas ruas da internet.

Citaremos dois tipos de títulos que fazem muito sucesso entre as técnicas de copywrintg. Primeiro é aquele que mexe diretamente com a vida do leitor e possível cliente, o de benefícios claros. É aquela manchete que nos pega em um momento em que desejamos muito aprender a fazer alguma coisa. É um formato simples, mas se bem realizado, muito eficiente.

Começamos com um “como”, que sugere a pergunta que nos fazemos sendo respondida exatamente naquele momento.  O complemento leva geralmente um verbo: como fazer, como parar, como iniciar. Finalizamos com aquela garantia que talvez faltasse, por exemplo: Como perder peso em duas semanas. Ok, você sabe como perder peso, mas não quer deixar de comer. Agora, se o título é: Como perder peso em duas semanas sem alterar a alimentação, é possível que passemos a olhar com outros olhos para aquela chamada.

Logicamente esse modelo não é único nem obrigatório, mas é uma forma de nortear a elaboração de títulos dos seus produtos, fazendo com que eles mexam com o brio dos leitores. Após um primeiro consumo, mesmo que de uma material gratuito, eles passarão a entender que aquilo que você promete resolver realmente é de grande ajuda, consumindo assim os outros produtos.

Listas envolvendo situações, problemas, benefícios, soluções, localizações, tudo que envolva números também ajuda na hora de convocar, pois torna o seu material mais específico, mais elaborado, passa a imagem de um combinado que passou por uma triagem para que sobrassem apenas as mais relevantes, determinantes.

Quebrar padrões de texto e de conexões lógicas também pode ser supreendentemente positivo. Imaginação é tudo na hora de tirar o seu conteúdo da cabeça, faça muito bom uso da sua. Linkar objetos e situações que não tem lá muito a ver com o que você está oferecendo, para depois criar a conexão entre eles, pode ser sim muito efetivo. Relacionar uma experiência vivida, um objeto antigo, fazer analogias fora da caixa pode criar aquela faísca de curiosidade que faltava para o seu visitante.

Lembra da tal da mistificação dos artigos dos caixeiros-viajantes? Então, muito tem a ver com a criação dessa história que você está contando, principalmente quando falamos de vídeos, já que fica mais fácil de fazer a tal da conexão. Basicamente, é como quando os nossos antigos professores da escola faziam aquelas incontáveis analogias para que pudéssemos criar uma imagem, que serve de plano de fundo para todas aquelas informações que vamos absorvendo.

Se você não tem habilidade para produzir conteúdo, e não tem tempo para estudar, você pode contratar um Agência de Inbound Marketing para gerenciar esse processo de produção de conteúdo que chama a atenção do leitor, melhora dos seus atuais artigos e ainda te colocar no topo do mercado!

como atrair o seu público

Contornar as objeções

Tudo bem, sabemos que nem sempre aparecer com a solução dos problemas vai surtir efeito instantâneo, muita gente fica com o pé atrás quando vê chamadas que parecem boas demais para ser verdade. Exatamente por isso devemos nos preocupar em criar um grau de credibilidade na área avançado. Só assim para que, quando as pessoas perceberem que o conteúdo vem da sua criação, elas possam ficar tranquilas com relação à qualidade.

Provar rapidamente o que você está sugerindo na chamada é uma das táticas usadas pelos produtores dos conteúdos. Ficar enrolando demais pode fazer com que os interessados se afastem, criem o conceito de que aquilo não é sério o suficiente. Se você insinuo a perda de peso ou o aprendizado de um idioma em determinado tempo, crie materiais suficientes que comprovem isso aos que estão de passagem.

A aplicação daquela solução também gera dúvidas na cabeça de todos. Se estamos falando de fatores complicados, que atrapalham por algum motivo a vida de alguém, ou de algum “segredo”, de uma informação que pode fazer toda a diferença na aplicação de alguma atividade, então também estamos falando sobre algo não tão simples de praticar assim. Se fosse, a pessoa não precisaria do material.

Passe por cima disso explicando o porque aquilo é sim fácil de fazer, sempre no passo a passo e na repetição, se necessário. Bata nessa tecla e faça com que a pessoa absorva o que está sendo oferecido. O preço também pode ser um entrave na hora da compra. Não esqueça de evidenciar sempre os benefícios, além de oferecer promoções, além de edições limitadas, para que as pessoas se sintam compelidas (não literalmente) a consumir. Garantia também é essencial.

 

Como engatilhar mentalmente meus visitantes?

Persuadir também é uma arte, dominada por poucos, é bem verdade. Saber fazer com que os interessados fiquem instigados com o produto é o caminho. Há quem lembre sempre das vantagens de se ganhar algo, mas também quem saiba sugerir a perda de uma qualidade, habilidade ou possibilidade, e isso pode ser muito valioso. Assim, chegamos mais uma vez nas edições limitadas e na oportunidade única, que já apareceram no último parágrafo. O “agora ou nunca” é um ótimo subterfugio.

As técnicas de copywriting tem a ver com soluções, com propostas. Outra vez, temos que comprová-las. Se falamos por conta própria, talvez nem todos se sintam convencidos o suficiente. Trazer pessoas que já consumiram o produto para um depoimento é um técnica básica e eficiente, presente em basicamente todos os modelos de copywriting de sucesso. Lembre-se sempre de ser bem específico, principalmente com os números e valores, que podem sim corroborar com todos aqueles benefícios que você está oferecendo, além de retificar o fator novidade, assim como nossos amigos caixeiros faziam com suas mercadorias e temperos.